A maioria das empresas vão à falência no Brasil: Como não entrar nas estatísticas

 

Porquê o Brasil é o país que mais negócios vão à falência no mundo e a melhor maneira da sua empresa não entrar nessas estatísticas. 
 
 
Pode ficar tranquilo, que não é simplesmente porquê a carga tributária no Brasil é uma das maiores do mundo…
 
Nem porquê o brasileiro têm problemas com o trabalho ou porquê não sabe empreender…
 
Inclusive, se você tem um negócio, esse é um daqueles motivos que não apenas levam à falência, mas também impedem bons negócios de crescerem…
 
Daí o número gigantesco de Micro e Pequenos Negócios no Brasil com um potencial gigantesco…
 
Inclusive, é engraçado como isso ficou claro, claro como a água, para mim…
 
Vou te contar rapidamente a história de como isso aconteceu.
 
Foi quando passei o cartão na maquininha de um vendedor ambulante que não tinha tem CNPJ…
 
Vou chegar lá…
 
Por que é o seguinte, pela minha experiência com quem resolve empreender a partir do digital, provavelmente, a grande parte desses empreendedores conhecem a figura do MEI.
 
E pra você que tem contato diário com conteúdo nas redes sociais, ouvindo quase em uma só voz esse negócio de empreender, que você tem que ser empreendedor…
 
Um assunto que já virou um lugar comum na internet brasileira.
 
[Mas existe um outro mundo lá fora, muito distinto disso aqui.
 
Em que o empreendedorismo não é uma possibilidade de ganhar muita grana, de fazer um ‘6 em 7’, ou de ganhar o primeiro milhão aos 23.
 
Nesse outro mundo, o brasileiro empreende para sobreviver.
 
E eu sei que no Brasil existe a cultura do funcionalismo público, da tal segurança (que é papo furado), dos burocratas e tudo mais…
 
Mas também existe esse outro mundo, e que é muito maior.
 
São esses caras que empreendem para sobreviver que forma a maior parte dos negócios do Brasil.
 
São esses caras que empurram o carro quebrado e com freio de mão puxado pelos políticos e pela burocracia.
 
E eu vou te contar uma coisa, a maior parte desses empreendedores nunca fizeram um curso de administração, de gestão ou de vendas, nem de marketing e contabilidade.
 
Começaram pela imposição das circunstâncias, fazendo aquilo que o ser humano livre faz de melhor: CRIANDO.
 
E eu vou te contar outra coisa, muitos desses sujeitos, que foram forjados no campo de batalha, tem um potencial de negócio enorme nas mãos.
 
Mas sabemos que só alguns poucos se transformam em grandes cases de sucesso.
 
E isso é normal.
 
Não estou dizendo que esses negócios poderiam se tornar os próximos unicórnios, a próxima Apple ou Nubank.
 
O mais provável é que não se tornem mesmo.
 
O que estou dizendo é que, esses negócios poderiam chegar muito mais longe se houvesse a junção dessa capacidade empreendedora, dessas qualidades provadas no dia a dia…
 
Com a orientação correta, com estratégias e com direcionamento…
 
Um negócio não é só oferecer e vender. Não é só demanda e oferta, a parte comercial…
 
Presta atenção nisso:
Aristóteles já ensinava que o ato sem um agente  capaz é impossível. E se um negócio é uma cadeia de atos e relações, entendo que pelo menos as situações fundamentais para o sucesso do negócio devem ser identificadas, e uma vez identificadas, deve haver disponível para o empresário a orientação precisa e direcionada para agir em cada uma dessas áreas do negócio de acordo com os objetivos da empresa.
 
E aqui chegamos no ponto central desse texto.
 
Porque é exatamente esse o principal motivo de estagnação e até da falência dos negócios no Brasil.
 
Por todos os negócios que trato diariamente, eu realmente não tenho mais dúvidas!
 
Eles não tem direcionamento, nem geral muito menos direcionamento especializado;
 
Não fazem planos e estratégias de crescimento no curto, médio e longo prazo; fazem análises de mercado precárias…
 
Não sabem que informalidade não necessariamente deve ser falta de profissionalismo.
 
Não sabem lidar com a questão tributária, que é imposta em doses cavalares no Brasil. E, pior, negligenciam sumamente esse aspecto, mesmo sendo decisivo para a sobrevivência e crescimento de qualquer negócio.
 
E por aí vai…
 
E isso acontece principalmente por falta de direcionamento especializado.
 
E vejo muitos dizerem que a falta desse direcionamento se justifica no fato de serem pequenos, não tem caixa, etc…
 
Besteira! Besteira!
 
Em negócios se toma decisão com base em risco vs oportunidade de ganho; custo vs benefício.
 
E é com base nessas premissas que o direcionamento deve ser procurado.
 
E pra antever e quantificar os riscos e pra dimensionar os ganhos você precisa de informação e conhecimento direcionado, específico, preciso.
 
Tomar decisões sem levar isso em consideração, de forma arbitrária, com base no que você acha, é a fórmula certa para o fracasso.
 
E esse é o problema, pois fica um looping infinito, nada nunca da certo e ninguém nunca sabe o motivo. Se torna uma confusão generalizada.
 
E isso é triste, porque pequenos negócios poderiam ser médios, médios serem grandes, micro poderiam ser gigantes.

Pois essa é uma regra que a cultura nos ensina: Tem algo que você não sabe fazer? Existe alguém, em algum lugar, que sabe.
 
Basta procurar!

Caso aqueles pontos fundamentais para o sucesso do negócio fossem mapeados e recebessem o suporte necessário.
 
E é claro que muito da estrutura que esses pontos estão inseridos se repetem nos negócios em geral, como:
  • Gestão, vendas, marketing, contabilidade e jurídico, por exemplo.
 
Mas cada negócio é um negócio e é de acordo com isso que cada uma dessas estruturas será preenchida de substância.
 
Então, voltando para a história, aquele vendedor ambulante que mencionei, está vendendo consideravelmente todo dia, a pelo menos 7 meses.
 
Porque ele está num bom ponto, atendendo a uma demanda constante, oferecendo produtos de alta recorrência…
 
Se ele soubesse da existência da figura do MEI, por exemplo, poderia estar pagando taxas mais acessíveis nas operações com cartão; estaria em dia com a Previdência Social para uma eventual necessidade de benéfico; pagaria uma taxa de tributos de menos de 60 reais por mês.
 
E estaria livre de ser autuado pela Receita por movimentar dinheiro na conta e não declarar no IRPF;
 
E pagar multa e juros em cima de um valor absurdo.
 
Por quê isso?
 
Falta de direcionamento especializado.
 
Por isso falei dos pontos fundamentais.
 
Esse aspecto jurídico/tributário que com certeza integra o rool de pontos fundamentais pra um negócio de sucesso…
 
Está colocando toda a operação do negócio em risco. Além de atrasar e diminuir a eficiência e possibilidade de crescimento do negócio.
 
Então, chegamos no X da questão.
 
Vejo isso acontecendo todo dia.
 
Negócios promissores sendo fechados e deixando empreendedores em situações terríveis.
 
Tirando esses empresários do jogo do empreendedorismo, pois lá no início não constituíram a empresa da maneira correta, quando a empresa quebrou arrastou o dono pra o buraco, porque o empreendedor achou que era a empresa e que a empresa era ele, moral da história, teve que assumir as dívidas no CPF.
 
Não confunda jamais, nem no financeiro – nem nas tomadas de decisões –, você com a sua empresa e sua empresa com você!
 
Não teve ninguém pra estruturar de modo que  se empresa encerrasse a operação com dívidas ele pudesse continuar empreendendo, com outras negócios. Tentar novamente, com o capital pessoal protegido.
 
Mais uma vez, falta de direcionamento especializado.
 
Teria centenas de exemplos para dar…
 
Mas acredito que me fiz entender.
 
Se você quer fazer um negócio sustentável, que não gere somente dor de cabeça e tempo perdido…
 
Que não apenas dê resultado por algum período curto e depois pare de crescer…
 
Que sirva para sua família futuramente ou para ser reconhecido como uma empresa de fato – e quem sabem, , seja vendido.
 
Identifique esse pontos fundamentais e tenha a disposição o direcionamento especializado na tomada de cada decisão.
 
Isso não é caro. lembre-se: é custo vs oportunidade. Posso te garantir, isso sempre se paga, com juros compostos, e bem rápido.
 
Se você acha que realmente não tem como, se não consegue pensar numa forma de obter esses direcionamentos necessários, você não está olhando para solução. E se é assim, talvez o seu lugar não seja empreendendo!
 
E se quiser conferir, há um vídeo no meu perfil do Instagram @wesleyimata em que falo mais sobre o encerramento dos negócios no Brasil e dou alguns direcionamentos especializados para sua empresa não entrar nessas estatísticas, além de postar conteúdo diariamente sobre negócios, contratos, tributação e muito do que envolve o mundo empresarial.
 

Compreendendo e resolvendo problemas antes mesmo que eles se tornem um. Fornecendo conselhos claros e práticos para aumentar a eficiência das empresas. É assim que trabalhamos.

O escritório SIM Advogados oferece insights únicos a partir de sua experiência nos ambientes e mercados jurídicos mais complexos do país. Promovemos soluções, para empresas e empreendedores, que identificam e mitigam riscos, permitindo o máximo aproveitamento das oportunidades. Fale conosco, nós cuidamos dos seus problemas para você se preocupar com o que importa.

 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.