Talvez sua situação esteja difícil e você não queira mais ter que se esforçar todo mês para manter a operação do seu negócio tendo que escolher quais contas vai pagar e quais deixará para depois.

Muitos empresários passam por essa situação e, se esse for o seu caso, pode haver uma saída mais rápida, menos burocrática e que não aperte tanto o seu bolso.

Sabendo como funciona as instituições bancárias, separamos, nesse breve artigo, três fatores que os bancos consideram muito importantes para consentir em disponibilizar excelentes condições de acordo.

 

POR QUÊ O ACORDO PODE SER A MELHOR ESCOLHA

É muito comum as empresas deixarem a bomba explodir e simplesmente esperarem a intimação chegar pelas mãos de um oficial de justiça, avisando que uma ação de execução foi ajuizada pelo banco.

Essa escolha acontece porque os empreendedores pensam que, às vezes, por não terem bens passíveis de penhora, o banco vai “cansar” uma hora e desistir do processo.

Grande engano.

Os bancos têm sistemas de monitoramento patrimonial e, se você adquirir algum bem (veículos, imóveis, abrir novas empresas etc.), é muito provável que algo de muito ruim aconteça com seu patrimônio.

Mas, calma. Há uma saída menos perigosa – e que pode até sair mais barata.

Um processo judicial, sempre que possível, precisa ser evitado. Ele é caro, demorado e faz qualquer um perder o sono. Certamente você não quer um motivo de preocupação constante por longos anos…

A alternativa mais inteligente, geralmente, é conseguir um acordo amigável. Pode ser feito mesmo durante o processo, caso ele já tenha sido proposto na Justiça.

 

TRÊS VANTAGENS QUE DEIXAM OS BANCOS QUERENDO UM ACORDO

A partir da larga experiência atuando em favor de empresas, podemos te contar com tranquilidade que esses três fatores são realmente definidores nessas situações.

Vejamos:

1) LIQUIDEZ: ter dinheiro em caixa, mesmo que não seja muito, é extremamente forte para conseguir condições mais tranquilas de acordo. Se tem liquidez, tudo fica mais fácil.

2) GARANTIA: ter garantias reais para colocar no acordo traz segurança ao banco credor e possibilita que ele aceite receber o pagamento em um número maior de parcelas ou com uma entrada menor.

3) PROATIVIDADE: manter contato constante com seu gerente e se mostrar altamente disposto a buscar uma solução amigável ajuda muito, pois ele é quem dá as diretrizes que o departamento jurídico do banco usa para dizer se aceita ou não.

Entende o que isso significa? Talvez você tenha uma ou mais dessas vantagens e não esteja aproveitando porque simplesmente não conhecia esses detalhes que fazem tanta diferença na hora de negociar.

Analise a sua situação e busque se informar melhor, pois se livrar da sua dívida pode estar mais perto que você imagina.

 

CONCLUSÃO

Além desses três fatores que descrevemos, existem muitos outros aspectos que podem trazer grandes vantagens na busca pelo controle das finanças da sua empresa.

Não deixe a situação chegar numa situação irreversível ou a quantia chegar num patamar estratosférico – e a bomba explodir.

Quanto mais cedo você agir, mais chances terá de liquidar as dívidas. E mais chances de recolocar sua empresa numa rota de crescimento que se sustente.

 

ANÁLISE PROFISSIONAL POR ADVOGADO

Para obter uma análise estratégica da sua dívida, com um direcionamento jurídico completo, acesse o link abaixo:

FALAR AGORA COM UM ADVOGADO ESPECIALISTA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.