Todos estão cientes das complicações envolvendo o atual cenário mundial com a invasão da Ucrania pelas tropas russas. O mundo todo entrou, nos últimos dias, em alerta máximo.

Este texto não pretende ater-se aos aspectos geopolíticos, menos ainda às nuances políticas locais – do território que um dia pertenceu à antiga URSS.

Mas, sim, acerca do aspecto jurídico-patrimonial, o qual, quase invariavelmente, direta ou indiretamente, é seriamente afetado em ocasiões de conflitos como esses – ainda que locais –, uma vez que a economia atual dos países modernos encontra-se sob uma constante interdependência na intitulada globalização.

E antecipando um cenário ainda mais hostil, em que ocorra o escalonamento do conflito no Leste Europeu para outras partes do mundo – como para a Europa Ocidental ou para a Ásia, no leste da China –, este texto se evidencia como ainda mais premente e indispensável para a defesa patrimonial dos indivíduos, famílias e organizações.

Nessas circunstâncias, estratégias de Proteção e Planejamento Patrimonial Internacional (PPPI) são absolutamente imprescindíveis para o efetivo desenvolvimento e proteção do patrimônio.

Em verdade, não são poucos os que sequer imaginam que poderiam ter acesso a esse tipo de serviço estratégico e se valer dos seus diversos benefícios.

Mas, devo dizer que, você precisa saber dessa possibilidade caso tenha ou esteja buscando formar um patrimônio.

E essas estratégias de proteção patrimonial não servem apenas para aqueles que têm um patrimônio milionário, pelo contrário, essas pessoas mantêm um patrimônio considerável justamente por utilizarem essas estratégias.

Sugiro aqui alguns pontos de reflexão importantes na análise e na busca de soluções para a proteção do patrimônio, seja ele do seu próprio, do seu cliente ou da sua família.

• Proteção extraterritorial
• Sucessão (sem complicações, sem inventário e lapidação do patrimônio)
• Governança
• Impostos
• Disponibilidade
• Possibilidade de investir em qualquer moeda
• Consolidação de bens em diversos países numa única estrutura

As pessoas buscam o planejamento e a melhor forma de transferir seus bens para outras gerações por diversas razões.

Por razões predominantemente patrimoniais visando minimizar riscos de perda de patrimônio, facilitar transferências e aquisições para as famílias. Por razões predominantemente sucessórias em casos de famílias com membros incapacitados, residentes de outros países ou com legados institucionais a serem mantidos. Ou, ainda, por razões predominantemente tributárias buscando otimização e economia fiscal, principalmente quando existe casos de imigração envolvidos.

Falar em planejamento patrimonial significa planejar como o patrimônio de um indivíduo; vários indivíduos; família; várias famílias vai ser organizado através de uma metodologia e utilizando instrumentos internacionais – holdings internacionais, trusts, fundos internacionais, fundações – para que aquele indivíduo; vários indivíduos; família; várias famílias possam usufruir daquele patrimônio sem ameaças e possam fazer com que esse patrimônio cresça.

A proteção patrimonial consiste em como é que nós vamos deixar aquele patrimônio o mais longe possível das ameaças que podem por ventura existir em relação ao patrimônio.

Qual destes pontos você considera o mais valioso?


Que tal levar o conhecimento adiante? Compartilhe esse texto com um amigo ou familiar para que ele também entenda a estratégia do planejamento patrimonial e a sua importância para garantir a proteção e o crescimento do patrimônio.

Para mais informações entre em contato!

FALAR COM UM ADVOGADO ESPECIALISTA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.